O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

   
 
 
  Edições Impressas - Edição Especial  
  Sumário:  
 

Edição Especial:
A erótica do tempo
Jacques-Alain Miller

 

A Erótica do tempo foi o tema desenvolvido por Jacques-Alain Miller em seu seminário proferido no
Rio de Janeiro, em abril de 2000, durante o X Encontro Brasileiro de Campo freudiano.

O projeto de publicação desse número especial de Latusa nasceu do entusiasmo despertado na época
pelo ensino de Jacques-Alain Miller sobre o tempo. Tal interesse se mantém  vivo, já que este seminário,
desdobrado em duas conferências, se insere como bibliografia fundamental de importantes trabalhos que
tratam de um tema em torno do qual giram as discussões da AMP hoje - os princípios que fundamentam
a prática lacaniana - e nas quais se inscreve esta questão central: que lógica sustenta a prática lacaniana
das sessões curtas?

Dada a importância das contribuições de J-A Miller a esta questão, além dessa primeira versão em
português, organizada por José Marcos de Moura e por mim, este seminário já conta com uma versão em
língua espanhola, e certamente ganhará outras.

Esse número especial foi fruto do trabalho de muitos: em primeiro lugar de Vera Avellar Ribeiro, editora
da revista na época, que acolheu a idéia transformando-a num projeto que se realizou num curto espaço
de tempo inclusive pelo apoio recebido do conselho editorial da revista, já que isto se traduziu, em ambos
os casos, numa participação efetiva nas inúmeras revisões que o texto inicial recebeu. Em segundo lugar,
do trabalho de tradução consecutiva, realizada por Marcus André Vieira e Romildo do Rêgo Barros, que
facilitou bastante o estabelecimento do texto em português. E ainda de todos os colegas da comissão de
publicação na preparação desse número.

Com as palavras finais de Romildo do Rêgo Barros em sua apresentação do texto: “Há neste livro afirmações
que vão continuar a ressoar, como, por exemplo, a de que, a partir de Lacan, a sessão analítica busca, na
verdade, e ao contrário do que se pensa, uma sessão sem fim, o que expressa com precisão e humor o
papel de relançamento
que a interrupção de uma sessão deve ter, devolvendo ao ato sua dupla dimensão paradoxal, de corte e de
infinito” - convido vocês à leitura desse número.

Elisa Monteiro
Responsável pela transcrição e estabelecimento do texto deste número especial de Latusa